Mirar con el cuerpo, tocar el mundo con los ojos


É preciso transformar um desafeto, uma frustação
em inspiração...
Para continuar viver...
.... com excitação

"sempre buscando o belo e o amaro"

entre Linhas

"é necessário sair da ilha para ver a ilha"


Pai
Ondes estás agora?
Apareça!
Pai.....
Oh meu pai...
Ainda sinto....
Sua mão afagar-me...
Num conforto necessário....
Seu sorriso sem pudor.....
Pedindo o mundo para ti....
Quantos dias..quantas noites sem dormir.....
Para ver os filhos.......
Quantas vezes disse-me: Te amo.....
Quantas vezes eu achava isso normal....
Ohhh meu Pai.....num faça isso.....
Ai que saudades de ti......
Apareça.....
Pai....Pai....ô ô ô Pai...!!!
Onde estás???
Por onde andas???
Num brinca comigo!!!
Que saudades......
Dos dias do futebol....
Da ida ao quartel....
Porque????
Porque agora????
Fugiste de mim???
Ou fui eu que corri para longe??
Sinceramente não sei....
Olha meu grande amigo Pai....
Não ouço a sua voz....me chamando de...: Ehhh Migão.....
Pai....Ohhh meu Pai...
Apareça!!!!
Nunca esqueça do meu coração....
Por favor...!!!
Onde estiveres pense...
Que aqui na Terra.....
Aclamo sempre por ti....
Meu mundo esvaziou.....
Esvaziou de ti...
Choro lágrimas invisíveis....
Que cortam a minh'alma....
Palpita meu coração.....
Mata-me aos pouco....
Lembro-me de ti.....
Tin tin por tin tin......
Por favor não vá!!!!
Ja foi....
Outra vez.....
Mas quando voltares me liga por favor.....
Porque meu telefone sempre estará em linha...
Esperando por sua voz......
Para dizer-me na semana que vem....
Feliz aniversário.....
Ohh meu ....pai.....
Estou em prantos...
As lágrimas caem...
Não consigo conter....a sua falta......
Porra!!!!
Mais uma vez porra!!!!
Que saudosismo........
Quero parar de escrever....
Não consigo.....
Mas vou terminar....
Meu monólogo......
De mim e você......
Adeus Pai.....
Até......o dia do encontro dos cosmos....
Te encontro na mesma esquina, da mesma rua, no bairro de cima....
Te amo...



Essa saudade foi escrita pelo meu irmão Douglas em Maio de 2010, 3 meses depois de meu pai ter feito a passagem.....
                                       
Não vejo nitidamente o que me espera no amanhã. 
Mas vejo as luzes que me seguem por onde vou.

A certeza do caminho pode se ter quando se está fora dele
"A vida é como uma viagem marítima. Cada um de nós tem que desbravar o seu próprio percurso na vida, com a força das suas convicções, imperturbado pelas ondas avassaladoras de oceanos tempestuosos. Quanto mais feroz for a tempestade, mais necessitamos de fazer surgir o nosso espírito de luta, agarrar o leme com toda a nossa força e ainda gritar “Manda para cá!”. Através deste tipo de luta árdua, podemos construir a sabedoria prática para triunfar consistentemente e, como campeões vitoriosos, criar história." Daisaku Ikeda

Ter coragem para colocar a vida nas costas e sair para conhecer o mundo pode ser uma das decisões mais ousadas que uma pessoa pode fazer. Abrir mão do aconchego do lar, da proza com os amigos, do café com sua mãe numa tarde de domingo, do cotidiano casa trabalho – trabalho casa, de uma carreira profissional, da possibilidade de acompanhar de perto o crescimento dos bebês da família, das discussões tolas, das risadas sem motivos, do cheiro de casa com vida, de assistir programas tolos num domingo à noite para esperar a segunda, entre mil outras situações que são indescritíveis e que só fazem falta quando se “cai pro mundão” pela vontade de conhece-lo. Tudo isso implica em abrir mão de coisas e situações tão simples e corriqueiras para viver culturas jamais pensadas. O preço não é baixo para quem decide sair do "ninho" para fazer voos rasantes e arriscados. Pode perder como ganhar, ou pode-se simplesmente soltar as rédeas e deixar o fluxo do rio correr, no seu tempo, na sua velocidade. Conhecer verdadeiramente uma pequena parte do globo exige não só coragem, mas muita coragem.