Ter coragem para colocar a vida nas costas e sair para conhecer o mundo pode ser uma das decisões mais ousadas que uma pessoa pode fazer. Abrir mão do aconchego do lar, da proza com os amigos, do café com sua mãe numa tarde de domingo, do cotidiano casa trabalho – trabalho casa, de uma carreira profissional, da possibilidade de acompanhar de perto o crescimento dos bebês da família, das discussões tolas, das risadas sem motivos, do cheiro de casa com vida, de assistir programas tolos num domingo à noite para esperar a segunda, entre mil outras situações que são indescritíveis e que só fazem falta quando se “cai pro mundão” pela vontade de conhece-lo. Tudo isso implica em abrir mão de coisas e situações tão simples e corriqueiras para viver culturas jamais pensadas. O preço não é baixo para quem decide sair do "ninho" para fazer voos rasantes e arriscados. Pode perder como ganhar, ou pode-se simplesmente soltar as rédeas e deixar o fluxo do rio correr, no seu tempo, na sua velocidade. Conhecer verdadeiramente uma pequena parte do globo exige não só coragem, mas muita coragem.